Moby Visita: Casa no Butantã

Por Eduardo Andrade de Carvalho em 9 de novembro de 2013

A obra de Eduardo de Almeida é composta, dentre outros projetos, por um conjunto de belíssimas casas, projetadas com extrema sensibilidade à modulação estrutural – o que fornece um ritmo à construção e à compartimentação dos espaços – e aos refinados detalhes construtivos, que, tão sutilmente associados ao conjunto projetado, em geral passam despercebidos. Trabalhou recentemente no projeto da Biblioteca Brasiliana, com Rodrigo Loeb.

A casa, implantada em 2 pavimentos, busca o máximo de transparência, integrando os espaços interiores e exteriores. No térreo, há um salão único, composto pela sala de estar e jantar. O ambiente único se estende tanto para o pavimento superior, através do pé direito duplo da sala de jantar, quanto para as varandas do fundo, pelos grandes panos de vidro. No pavimento superior os dormitórios se distribuem linearmente ao longo de uma galeria que se abre para o amplo espaço com pé direito duplo.

A casa foi construída com estrutura metálica branca, fechamentos da mesma cor e grandes painéis de vidro na fachada para os jardins. Destacam-se também os painéis em chapa metálica, afastados da fachada, que funcionam como filtro para a luz direta, e, ao mesmo tempo, fornecem certa transparência ao volume.

No Moby Visita, convidamos amigos para conhecer projetos dos arquitetos brasileiros que mais gostamos. A Primeira Edição, Casas Paulistas, aconteceu num ensolarado sábado de manhã, dia 8 de junho. Nos encontramos na sede da revista Amarello, no centro de São Paulo, onde crítico de arquitetura e curador da Bienal de Arquitetura de São Paulo de 2013, Guilherme Wisnik, fez uma palestra sobre a arquitetura moderna de casas em São Paulo até chegar nos arquitetos das casas que visitaríamos em seguida: Oswaldo Bratke/Mauro Munhoz, Paulo Mendes da Rocha, Eduardo de Almeida e FGMF+CR2.


Direção: Tomás Biagi Carvalho
Produção e argumento: Marina Ferriani
Edição e fotografia: Felipe Abreu

Comentários