Moby Visita: Casa na Rua Sofia

Por Eduardo Andrade de Carvalho em 24 de novembro de 2013

A obra de Bratke compartilha características da arquitetura do Case Study Houses americano, tendo como bases a simplici- dade do projeto e a clareza no raciocínio estrutural, além da importância da reorganização dos espaços internos considerando-se a modernidade que estava por vir. Entre suas obras principais, está a sede da Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, além dos edifícios que abrigam os departamentos de engenharia mecânica e metalúrgica da USP.

A casa da rua Sofia foi uma das primeiras em que Oswaldo Bratke passou a incorporar novos conceitos em busca da modernidade. A presença da garagem como importante elemento de organização do espaço já indicava a importância que esse novo objeto moderno – o automóvel – passaria a possuir. Posicionada para ter maior privacidade em relação à rua, a casa é organizada de modo que os ambientes sociais no térreo estejam abertos para os agradáveis jardins do fundo. A presença de caixilhos piso-teto e paredes revestidas de pedra entre o exterior e o interior reforçam a idéia de continuidade espacial que pode ser vista nos desenhos originais de Bratke.

Em 2002, foi concluída a reforma da casa feita pelo arquiteto Mauro Munhoz, que garantiu o resgate de características originais, além de realizar intervenções para sua atualização, revelando uma afinidade de ambos com a obra de Frank Lloyd Wright.

No Moby Visita, convidamos amigos para conhecer projetos dos arquitetos brasileiros que mais gostamos. A Primeira Edição, Casas Paulistas, aconteceu num ensolarado sábado de manhã, dia 8 de junho. Nos encontramos na sede da revista Amarello, no centro de São Paulo, onde crítico de arquitetura e curador da Bienal de Arquitetura de São Paulo de 2013, Guilherme Wisnik, fez uma palestra sobre a arquitetura moderna de casas em São Paulo até chegar nos arquitetos das casas que visitaríamos em seguida: Oswaldo Bratke/Mauro Munhoz, Paulo Mendes da Rocha, Eduardo de Almeida e FGMF+CR2.


Direção: Tomás Biagi Carvalho
Produção e argumento: Marina Ferriani
Edição e fotografia: Felipe Abreu

Comentários