Evolução dos edifícios residenciais em São Paulo

Por Eduardo Andrade de Carvalho em 8 de dezembro de 2013

Quando lembramos o que já fizemos de melhor na arquitetura em SP — Rino Levi, Artacho Jurado, Vilanova Artigas, etc. –, encontramos janelas amplas, boa relação com a rua, cuidado nos detalhes, etc., e a gente sempre se pergunta: “Por que não se faz mais prédios assim?!”. É com esse intuito que, em evento no Edifício Amoreira, convidamos Guilherme Wisnik, crítico de arquitetura e curador da X Bienal de Arquitetura de 2013, para falar um pouco mais sobre a evolução dos edifícios residenciais em São Paulo. Nomes como Louveira, Copan, Prudência, Jaraguá são apenas alguns que nos inspiram a resgatar essa boa prática e queremos trazer isso para discussão com todos os interessados.

Comentários